Seu entretenimento

Escrito por Tiago Delfini
No dia 29 de agosto.

Música: For Your Entertainment – Adam Lambert (não tenho direitos na música, só usei-a para fazer a história, não ganho nada com essa história)

Já de fora da boate eu ouvia a batida forte de músicas que faziam meu coração palpitar no ritmo ordenado pelo D.J. Estava para dançar nessa noite. Dançar como se não houvesse amanhã.

A fila estava grande. Como é bom ser filho do gerente, poder entrar sem passar por esses desespero de sexta à noite.

Sentei logo de frente à pista enquanto todas as garotas e os garotos dançavam tentando caçar uma presa para a noite se tornar mais quente.

Sentia como se a promiscuidade tomasse conta do lugar. Não era o meu lugar favorito na Terra, mas em uma sexta à noite, cansado de ficar em casa, só poderia ir para o parque do centro da cidade ou ir para a balada. Como você pôde ver, eu fui para a balada.

As músicas eram agitadas, muitas eram conhecidas, desde Lady Gaga, que não se encaixava no meu gosto musical, até Daft Punk que eu jurava que não tocava mais em nenhum lugar.

Garotas bonitas dançando em volta de muitos garotos, que provavelmente estavam ali escondidos de seus pais com a carteira falsificada, pois a cara de pivete que cada um tinha era gritante. Como os seguranças de meu pai poderiam ter permitido a entrada deles? Ah, descobri, dinheiro em caixa. Se bem que não poderia reclamar, era isso que me dava o status que eu queria.

Até que tudo pára. Era exatamente essa música que me interessava, que eu esperava que tocasse. Não liguei para mais ninguém, ouvi a batida começando, a alternância da melodia eletrônica, não a subida de tom, mas sim o efeito que davam para a introdução da música, a nobreza do toque da música que eu estava sentado esperando. Agora estava chegando a minha hora de estar lá no meio da pista, tirando as pessoas que estavam me atrapalhando. Estava tocando a música que eu queria.

Tão quente fora do padrão
Você consegue entrar no ritmo?
Aumente o volume, aumente a temperatura
Eu preciso estar entretido
Force até o limite, você sacou? Querida, não tenha medo
Eu vou te machucar pra valer, amor

A melodia tomava conta de meu corpo, eu estava em êxtase, não conseguia ouvir nada mais do que a voz do cantor internacional. As pessoas procuravam acompanhar minha dança, mas meus passos eram completamente sincronizado com a batida por ter treinado por dias algo parecido.

Até que ela apareceu. Não sei se ela estava lá desde o começo da música ou se apareceu quando ele começou a cantar por ter demorado para reconhecer a música mas, ela estava perfeitamente sincronizada, e incrivelmente sincronizada.

Estava vidrado nela, mas não parava de dançar. Meus olhos finalmente haviam cruzado com os dela, estava finalmente aproximando-se de mim e eu dela. Essa noite prometia uma dança de duas pessoas em só um momento. Nessa música

Vamos nessa, esse é o meu show. Querida, faça o que eu digo
Não saía fora do ritmo que eu vou mostrar
Eu disse que eu vou te prender até que você esteja extasiada
até dar para você até você gritar meu nome

Seus cabelos ruivos eram jogados de um lado para o outro, eram grandes o bastante para fazer vento quando ela girava próxima de mim. Esse vento me deixava mais quente do que estava no local. Deveriam aumentar o ar condicionado, estava pegando fogo aqui.

O corpo moldado perfeitamente pela roupa que usava, não era promiscua, era normal. Usava uma calça jeans não muito colada, que a permitia fazer mais movimentos que as meninas que tentavam dançar ao meu lado. Sua camiseta verde brilhava à cada mudança de cor, o suor já marcava o corpo da garota junto à camiseta.

Sem saída quando eu começar
Uma vez que estou dentro, seu coração me pertence
Não tem jeito de tocar o alarme
Então, espere até acabar

Olhos azuis. Eu percebi quando a luz pegou diretamente seus olhos ofuscando-a um pouco, mas ela sorriu e continuou a dançar. Como uma música de três minutos e trinta e seis segundos demorava horas para acabar? Não, espere, não poderia pensar em algo disso, queria continuar dançando ao lado dessa beldade.

A garota olhou para mim, aproximou-se um pouco mais e colocou a mão em meu rosto, descendo até meu queixo ainda seguindo a batida. Realmente precisava que aumentassem o ar condicionado, esquentava cada vez mais. Trouxa que eu era, não tomei o primeiro passo para começar a festa em dupla, mas esse passo de dança que ela havia feito me fez aproximar-me mais.

Mexia-me cada vez mais próximo, queria poder não encostá-la como os dançarinos de funk fazem, mas queria poder olhar para ela perto de seus olhos perfeitamente criados pelo divino.

Oh, Você sabe no que entrou?
Pode aguentar o que estou prestes a fazer?
Porquê é hora de pegar pesado com você
Eu estou aqui para o seu entretenimento

Sentia que ela estava gostando de eu me mover mais longe dela do que os outros homens, por isso conseguia dançar igual a mim, como se não houvesse amanhã.

Precisava comunicar-me com ela de alguma forma, mas não havia percebido que a dança estava falando por mim.

Peguei-a pela mão, ela girou até mim, encostou seu ombro esquerdo em meu peito, colocando seu rosto próximo a mim, ela era quase do meu tamanho. Seu perfume era forte o bastante para continuar presente depois de pelo menos um minuto de dança.

Girei-a de volta, ela prendeu a mão na minha e voltou de frente, encostando-se novamente e sorrindo. Seu sorriso era lindo, dentes brancos e uma boca carnuda, onde seus lábios formavam uma linha parecendo um coração. Agora era eu e ela, não mais só eu ou só ela.

Encostei meu tronco ao dela e começamos a fazer movimentos sincronizados, parecia ensaiado. Eu liderava a dança, ela se entregava completamente para que a dança ficasse perfeita.

Oh, Aposto que você pensou que eu seria delicado
Você pensou em um anjo jogado nos seus pés
Mas eu estou prestes a aumentar a temperatura
Eu estou aqui para o seu entretenimento

Nossos braços estavam estendidos. Ela passava a mão em meu cabelo preto carvão e logo descia para meu ombro e seguia para meu braço, puxando-o para o corpo dela.

Meus dedos dançavam junto com o movimentar dos longos cabelos ruivos da garota, já molhados pelo suor que a música estava provendo para nós dois.

A balada havia ficado parada, todos olhavam para nós dois que estávamos realmente entretidos com a música. A dança parecia marcada, todos os passos eram seguidos de vários outros que nenhum de nós poderíamos ter imaginado em algum momento de nossa dança sozinhos em casa.

Tudo bem,
você vai ficar bem,
amor, eu estou no controle
Sinta a dor,
sinta o prazer
Eu sou o líder dos dois
Feche os olhos, não sua mente
Me deixe entrar na sua alma
Eu vou forçar até você explodir( não consegue ouvir)
Não há saída quando eu começar
Uma vez que estou dentro, seu coração me pertence
Não tem jeito de tocar o alarme
Então, espere até acabar

O ápice da música aproximava-se, ambos sabíamos essa música de cor. Cantávamos até sentir que não saía nada.

Estava realmente preparado para dançar sozinho, via as pessoas como promíscuas e prontas para ter uma noite só de loucura e ir embora. Eu não esperava ver uma garota, com esse porte todo, vir para o mesmo lugar que eu, dançar a mesma música que eu estava dançando e estar com o mesmo olhar que eu. Dançar sozinha.

Não procurava imaginar o problema que ela havia tido para estar aqui igual a mim, estava mais para dançar. Não usá-la e jogar fora, e sim curtir o que estávamos tendo no momento, pois eu sabia que acabando a música que nós dois amávamos, ambos iríamos por caminhos diferentes e somente na próxima música dançaríamos novamente.

Você gosta do que vê??
Me deixe entretê-la até você gritar

A música estava chegando ao fim, as batidas já estavam sendo repetidas, e o tom estava sendo absolutamente usado com agudos do cantor. Sabíamos que depois disso não haveria mais nenhuma que nos movesse do mesmo jeito. Por isso, igual ao cantor, dávamos nosso melhor para essa partida final entre a música e nossa dança.

Percebia que ela também dançava como sendo a reta da bandeirada. Seu corpo não perdia a sensualidade mas havia algo mais ali, seu ponto de visão não se prendia mais ao nada, procurando ouvir a música, mas sim a mim.

Os olhos azuis focalizavam meus olhos castanhos, seu corpo roçava o meu, suas pernas entrelaçavam com as minhas, seu braço agora não estava mais em meus braços e face, estava passando por todo meu peito, seguindo pela cabeça que procurava trilhar o caminho dos dedos.

Oh, você sabe no que entrou?
Pode aguentar o que estou prestes a fazer?
Porque é hora de pegar pesado com você
Eu estou aqui para o seu entretenimento

Dedilhou até meu peito, que estava molhado de suor de tanto dançar. Minha camiseta vermelha viva estava agora com um rubro escuro. Senti um arrepio tomar conta do meu corpo, ela passava os dedos em meu abdômen. Segurei-a pela cintura, puxei-a para perto de mim e beijei-a.

Paramos de dançar por alguns segundos. Ela fechava os olhos para sentir a dança de nossos lábios, eram tão sincronizados como nossa dança nestes dois minutos de música. A garota colocou o braço em volta do meu pescoço, apertou um pouco, puxando-me para próximo dela, eu encostei meu peito em seu peito e abdômen encostado no seu.

Oh, Aposto que você pensou que eu seria delicado
Você pensou em um anjo jogado nos seus pés
Mas eu estou prestes a aumentar a temperatura
Eu estou aqui para o seu entretenimento.

A música estava prestes a acabar, paramos de nos beijar para dançar os minutos finais de toda essa aventura noturna que estávamos tendo. Ao aproximar-se do fim, em suas batidas finais, ouvi sua voz:

– Pare frente a frente comigo. – Ela disse.

A voz de anjo que ecoava em meu ouvido me hipnotizou por completo, faria o que ela quisesse neste momento.

Então o último acorde aconteceu. Paramos cara a cara, olhando um para o outro, ofegantes, como se tivéssemos corrido por mais de dez quilômetros. Estava acabada a noite, não precisava de mais nada. Ela, então, sorriu para mim, beijou meu rosto, me abraçou e falou:

– Toda sexta toca essa música do Adam, poderíamos nos ver?

– Seria mais que excepcional. – respondi.

– Ok, galã de novela, nos veremos novamente sexta que vem. – Ela virou as costas para mim e começou a afastar-se.

– E como é seu nome? – gritei.

– Sexta que vem você saberá se vier… – Sorriu para mim novamente e sumiu no meio da multidão.

Essa sexta, serei eu que vou tomar a iniciativa, vamos dançar igual ou melhor que na semana passada. A ruiva de olhos azuis que tornou-me seu entretenimento.

9 pensamentos sobre “Seu entretenimento

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s